Umas, novas, Idéias

Wednesday, November 08, 2006

ITABIRA É SÓ UM RETRATO NA PAREDE, MAS COMO DÓI...


Foi há algum tempo. Estava deitado numa cama de hotel e, mais uma vez, imaginava minha vida em desdobres que só mesmo minha cabeça de sonho infantil podia querer nesse mundo de humanos. Um fluxo de consciência que foi enganando o tempo enquanto via você dormir e pensava ser aquela a primeira de muitas vezes. Já devia ter descoberto há mais tempo que não se deve prever em um o que se pretende em dois. Foi assim que evaporei umas angústias que tinha guardadas dessa vida e as joguei do terceiro andar de um hotel que não lembro o nome, num bairro que já esqueci e no qual mal sei chegar novamente se ousar fazer o mesmo percurso. Sim, acredito na literatura dos momentos. Talvez por isso goste tanto dessa coisa fragmentada que vai procurando escoras nas imagens e nos gestos mudos de um olhar fotográfico. Mirei teu corpo de maneira a não esquecer por bom tempo. Forte laço essa da memória que começa já de maneira inventada e cada vez que é retomado assume novas imagens em si. Foi esse ano, e foi de forma tão natural que chorei os entantos de uma amor-alguém que não fazia idéia por chorava e que só percebo hoje que seco o pavio do abraço. Não se trata de felicidade ou de lamentos pós-derrota que retornam, tempo em tempo, para assaltar a vida já tão trombada. Foi verdade. Talvez, num canto qualquer do rodapé da página, ainda o seja. Mas de que isso realmente importa? É um fato: vejo a rodoviária todas as manhãs e procuro a báia na qual embarquei certo dia, cheio de dúvidas e ansioso por tudo que enfim parecia maior. Foi há algum tempo e todo tempo se decompõe em restos de memória, que me preenchem as mãos e o vazio do olhar que se forma toda vez que abafo o desejo de voltar ao então.

5 Comments:

  • At 11:45 AM, Anonymous ivan cb said…

    texto bacana, merecia uma revisão.

    instantâneos, bom aproveitamento da luz:
    "não se deve prever em um o que se pretende em dois", "gosto da literatura dos momentos"

    uma fotografia perdida mata uma pessoa pela segunda vez.

    abraço, TÂMUJUNTO, k.

     
  • At 6:20 PM, Blogger Otavio Meloni said…

    certamente jovem kano, certamente...

     
  • At 5:33 PM, Blogger Fabiano Morais said…

    reviso por qualquer R$50.

     
  • At 9:05 AM, Anonymous Anonymous said…

    Foi verdade.

     
  • At 7:26 AM, Blogger Máximo Heleno Lustosa da Costa said…

    Pára tudo: "uma fotografia perdida mata uma pessoa pela segunda vez".


    Putz...

     

Post a Comment

<< Home